• Aline Pastori

O ritmo pede tempo


O ritmo pede tempo.

O ritmo pede tempo de revisão.

O ritmo pede tempo para dar instruções.

O ritmo não espera nossa vontade, ele é visceral.

Tem horas que chega pedindo mais, tem horas que chega pedindo menos

Mas quando ele se pronuncia não podemos ignorá-lo.

O ritmo coloca as coisas fora do lugar.

Ele rege e ajusta.

Há um ritmo que concede e há um ritmo que evidencia.

Somos nós filhos do ritmo, ou nós o produzimos?

Nestes dias penso na dualidade e complementariedade deste questionamento...

Penso que hora somos regidos, e hora somos regência.

Mas o fato é que o ritmo é filho do tempo, Saturno, Cronos, o tempo calculado e Kairós, o tempo oportuno.

Melhor não negligenciar, melhor respeitá-lo, já que o velho, sábio, sabe melhor do que nós o que é de fato bom para nós.

Estou pacificando com o Senhor do tempo, estou deixando o ritmo me mostrar o momento certo para cada coisa.

Busco repouso no “Senhor Velho”, para que sua força seja minha força e que sua sabedoria fortaleça minhas bases, meus ossos, meus músculos, minha mente e meu coração.

O ritmo é dele e com ele vamos em constância, mais firmes e mais longe.


Carinho, Aline.

Ontem foi um dia daqueles, mais especiais, sim, digo mais por que tenho exercitado este olhar milagroso para a vida já algum tempo, e olha, posso te dizer com todo o meu ser que esta perspectiva nos c